PARTICIPAÇÃO DAS LEITORAS: "MAS EU NÃO ACEITO! NÃO ACEITEI NA ÉPOCA! EU NÃO SOU! "

27 de fevereiro de 2014

Este é o desabafo de uma leitora amiga, anónima, claro! Mas lindo e emocionante! Obrigada querida por partilhar connosco a sua historia. Como eu te disse não são somente as gordinhas que sofrem, as magrinhas também! Muito mas muito obrigada mesmo! 
" ...eu simplesmente fui desabafando... eu vou ser realmente sincera com você:  quando escrevi no texto que a médica não me deu o emprego, ela disse que eu era anoréctica. E ela não foi a única médica que disse isso. 
Mas eu não aceito! Não aceitei na época! Eu não sou. 
Sou magra, muito magra, não me peso na balança tem anos. 
Mas nunca fiz dieta! Nunca! E toda vez que vejo noticia que alguém morreu de anorexia eu fico mal. 
Me desculpe este desabafo...

Oi Elisa!
Gostaria que não publicasse meu nome.
Eu não sei escrever. Me desculpe os erros e falta de assentos. 
Se achar que o texto não é bom, não precisa publicar. Se quiser ilustrar com alguma foto pode... eu até pensei em alguma coisa, mas ainda nem sei se achará válido este texto. Se quiser pode retirar algum trecho também se achar muito grande... eu como não sei escrever, não tenho blog, fui escrevendo uns desabafos de coisas que me lembrava. 
Beijos.

Eu sempre fui magra. Desde que eu me lembro. Nas fotos de criança e agora. 

Mas eu nunca me incomodei com comentários maldosos das pessoas como nos últimos anos. 
Na escola sempre fui boa aluna, tenho guardado ainda hoje cartinhas de amiguinhos e professores do primário e do colégio. 

Eu não sofria bullying por ser magra na escola. Claro que os apelidos existiam como, perna de saracura, mas realmente eu nunca me importei e ao longo do ano isso não continuava. Não sei, mas os "apelidinhos" na minha época não traumatizavam tanto ou as pessoas não eram tão cruéis. 
Não sou lindíssima e maravilhosa, mas os menininhos sempre queriam dançar quadrilha comigo, eles eram os mesmos que puxavam meus cabelos na fila do Hino Nacional. Sim, sou da época que fazíamos fila antes de entrar na sala e cantávamos o Hino Nacional. Época boa! 

Mas então eu brincava com meus amiguinhos todos magros, gordos, negros, brancos, piolhentos e nos éramos felizes.  
Eu tive namoradinhos na adolescência. Que saudade, outra época boa. 
Sempre fui muito extrovertida e nada tímida. Diferente de hoje, sou mais tímida e até mais medrosa.

Nasci prematura, com 1/2kg e mamei no peito. 
Eu comia até muito bem na minha infância... Não faltavam frutas, verduras, carnes, peixes... 

Gente, eu sempre fui magra e nunca tive anemia na minha vida! Já fiz exame de tiróide, um milhão de vezes, alias sempre faço controles anuais. 

Mas claro eu tinha espelho em casa, e sempre me via magra. 

Pedi a minha mãe para me comprar algum remédio para engordar. 
Ela me respondeu que não! Que sempre fui assim e que quando era criança ela e meu pai não me deram remédio, então não seria agora que iriam me dar. Mais tarde, já com meus 20 e poucos anos, procurei uma endocrinologista. Ela me respondeu que quando eu me formasse, casasse estivesse com a vida estabilizada, eu engordaria, para não ter pressa, que quem toma remédio agora depois procura para tomar remédio para emagrecer, que as meninas mais novas que eu, procuravam ela justamente para terem meu peso, que depois dos 30 eu engordaria e blábláblá. 
Tenho 30 e poucos anos ... E estou magra. 


Uma vez, eu procurando emprego, passei nos testes e chegou o dia de fazer o exame médico. A doutora nem me examinou já foi falando: "Nossa você é muito magra..." o blábláblá negativo acabou comigo, me senti péssima... 

Acho que foi ali que fui me sentindo mal com o que as pessoas falavam sobre meu peso. Então, ela não me passou no emprego. Mas como tudo na vida, depende do QI, nesse caso o Quem Indica, eu tinha uma amiga na época que trabalhava com a diretoria e ai ela me perguntou porque não fiquei com a vaga, eu fiquei sem graça e respondi: "Ah não tenho certeza, eles disseram que me ligariam...".  3 dias depois eu estava no trabalho novo e somente sai de lá depois que terminei meu curso e fui trabalhar na minha área. 

Eu lembrei disso, quando vi um vídeo de uma moça que não foi aprovada no emprego e disseram para ela que não fazia uniforme GG ou uma coisa assim. Surreal, gente! Que preconceito idiota!!! Mas preconceito tem de todos os tipos! De raça, religião, sexo, qual preconceito idiota vai ser hoje? 


Você já passou por isso: Uma pessoa que você conhece, do nada se mete a te dar receitas de dietas? 
Nem me conhece e já vai falando : Nossa como você é magra. Você não come? 
Gente, eu sinceramente penso que engordar ou emagrecer vai muito além da alimentação. E sim, eu como e muito bem. 
Quem me conhece sabe. Mas e aí? Eu vou ficar em casa e me isolar porque minhas pernas são finas demais ? 

Na metade de 2012 mas ou menos, eu li um artigo na revista Mundo Estranho sobre a mulher mais magra do mundo. Hoje você pode ver o vídeo de Lizzie Velasquez que tem emocionado muita gente de bom coração. Lizzie é uma das pessoas que me motivam! 

Existem umas expressões que não entendo bem, geralmente na piscina ou no clube alguém fala : "Você é uma falsa magra" ou quando me viam comer: "Você é magra de ruim"... Isso é um elogio, gente? Por favor né! 

Geralmente quando uma pessoa acaba de me conhecer e fala alguma coisa do meu corpo tipo, "nossa como você é magra, que linda!", eu já tomo um pouco de antipatia pela pessoa, porque há tanta coisa mais interessante para você curtir numa pessoa e você fica olhando para o corpo? 
Me casei. Meu marido nunca me disse um "A" do meu corpo, se sou magra demais, se sou isso ou aquilo.
Mas a gente quando casa, ganha também a família e os amigos do noivo. 
E eu comecei a ficar triste e irritada com certos comentários. Meu marido me disse que não deveria me importar, que deveria responder com gentileza e a altura que me sentia mal com esses comentários maldosos. Que não deveria voltar para casa triste.
Então, tem um amigo do meu marido, desde a primeira vez que me viu e acabou de me conhecer saiu da boca : "Nossa você é magra, você não come?" E todas as vezes que esse amigo estava presente, só me cumprimentava assim: "Você não engordou um grama desde a última vez que te vi".
Gente, não estou exagerando, era isso todas as vezes. 
Uma vez, eu estava me sentindo muito bem neste dia... Estavam muitos amigos do meu marido juntos, acho que era um feriado, e lá veio o tal amigo: "Você esta magra, magra, magra, magra, e blábláblá.  Não aguentei e respondi: "Mas você só fala disso todas as vezes que nos vemos. É somente isso que me diz, não muda nunca de assunto." Gente, eu falei numa calma, muito tranquila, sem gritar, mas eu estava cheia... Ele ficou todo sem graça e nunca mais falou neste assunto comigo. Antes era eu que ficava sem graça e triste com estes comentários. Cortei um! 
Outra vez, foi a sobrinha do meu marido. Gente, tem criança que já é bem grandinha e inteligente para saber que está te magoando... Pois bem, a sobrinha do meu marido tem 11 anos. E sofre na escola e no balé por ser gordinha. As amiguinhas riem dela. Mas eu acredito também que criança repete o que ouve em casa dos pais. Fato é que depois do "chega para lá" que dei nela, nunca mais,  nunca mais mesmo,  ela ou outros priminhos dela me fizeram uma piadinha. Neste dia também estava me sentindo muito bem. Sabe aqueles dias que você se sente a mulher maravilha, você se acha linda e forte, pois então, neste dia depois do almoço de família cada um foi para o seu canto e eu fiquei na cozinha lavando os pratos. Vieram minha sogra e meu marido e se sentaram na mesa. A sobrinha do meu marido começou a fazer piadinhas. E soltou: "Tia, suas pernas são tão finas, parecem dois palitos de dente",  eu fingi que não ouvia e ela dava risadinhas. Ninguém disse nada. Ela insistiu: "Tia, suas pernas são tão finas que parecem dois palitos de dente". 
Meu sangue estava fervendo mas eu não queria me exaltar com uma criança e ninguém falava nada com ela eu respondi: *Eu te ouvi bem, isso não é bonito de se dizer. Você gostaria que uma amiguinha sua te dissesse coisas desagradáveis sobre seu corpo também?". Ela dava risadinhas, ficou sem graça e nunca mais falou disto comigo. 


Acho uma falta de educação e respeito as pessoas falarem o que querem com você e te ferirem. Essas pessoas precisam de resposta. Respeito a gente adquire não é mesmo? Pois é, parei de fechar a cara e ficar triste chorando por ter um corpo que não agrada a essas pessoas. 

Gente! Eu tenho espelho em casa. Você tem? 

Poxa, nunca vem uma Gisele, um Rodrigo Santoro, um doutor da Nasa, um prémio Nobel criticar meu corpo. Não vou falar o tipo de gente que costuma me criticar. Vocês que são criticados podem imaginar. 

Não estou falando somente do exterior dessas pessoas, estou dizendo de exemplo de vida. Cadê? Uma pessoa que te inspira, que seja ideal e exemplo de vida não perde tempo falando do percentual de gordura do seu corpo. Tenha a santa paciência! 

Bom, eu não tenho blog, nem sei escrever. Eu conheci o canal da Elisa no Youtube e fiquei fã logo de cara da autenticidade dela. Uma vez, vendo o vídeo dela, MORRE SUA GORDA!, eu mande mensagem privada para ela. Dizendo que sempre acompanho os hangouts pluzsize, mas que não comento por medo de retaliação das meninas mais cheinhas. Ela me respondeu que não, que eu devia participar. Que somos iguais! Somos mulheres normais. 
Um dia a gente se olha no espelho e se sente bem e no outro se sente mal. Normal, natural! E é verdade! Tem dias que me sinto bem com meu corpo, tem dias que não me sinto tão bem, sem ninguém precisar me dizer! 

Sobre o vídeo MORRE SUA GORDA, eu tenho uma prima que amo demais e que esta acima do peso. Antes de me casar, nós saiamos muito juntas. Pois ela tinha se divorciado e era a mais nova solteira da turma. Minha prima hoje esta bem, tem um bom emprego e sai muito com as amigas. Mas não foi assim por um bom tempo. Ela se casou bem nova, com 18 anos teve o primeiro filho e uma gravidez muito complicada. 

Engordou muito. O marido antes muito apaixonado a traía com muitas mulheres. Ele passou a maltratá-la e humilhá-la com vários apelidos muito, mas muito maldosos. Minha prima contava chorando e não se separava dele. Quando o filho já estava maior com 12 anos, ele a deixou por outra mulher. Minha prima sofreu muito. Mas se reergueu! Arrumou um bom emprego. Só anda muito bem vestida, penteada e maquiada. Adivinha quem quis voltar? Pois é, né! Mas ela agora pode escolher um bom partido, porque quando saímos juntas ela chamava muita atenção pelo brilho no olhar, pelo charme e desenvoltura na pista de dança! Me orgulho muito dela! 

Estou escrevendo tudo isto um pouco para desabafar mas para que faça bem a alguém também, assim como o blog da Elisa e de outras plus size me fazem bem. A Elisa me aceita e me respeita mesmo eu sendo magra. Eu aceito e respeito ela por isso e muito mais! 

Não permitirei mais que me ofendam gratuitamente, não permita você também.

Seja gentil e elegante na sua resposta, mas responda! E seja feliz !!!

Eu me olho no espelho e gosto quando não vejo minha saboneteira... 
Eu ainda estou magra! Estou bem! 
Obrigada meninas! "

Comente pelo Blogger
Comente pelo Facebook
Comente pelo Google+

7 comentários:

  1. Muito bom, parabens pela coragem e tem que responder sim, as pessoas se acham no direito de ofender e julgar os outros, ninguem preconceito ridiculo, nao temos que agradar aos outros e sim a nos mesmo.bjs e parabens a Elisa e a leitora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Sandrinha, eu nao fiz nada! A unica coisa foi postar este lindo depoimento desta leitora querida com esta historia de força! bjo gde e muito obrigada a voce!!!

      Excluir
  2. Amei o desabafo dessa moça. Se estamos gorda falam, se estamos magra falam. Porque as pessoas não ficam calados isso realmente muito chato. Ela sempre foi magra é do biotipo dela. Eu era magra e o povo falava tá doente e agora engordei por causa da coluna, gravidez e remédios(corticóides) e agora falam que estou gorda. Isso é muito chato mesmo. Se cada um cuidada-se de si seria melhor. beijos Elisa e Anônima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Dri, pelo menos se sa pessoas quisessem opiniar mas falarem coisas animadoras e incentivadoras, ja estaria de boa ajuda! Agora, partir pra cima, esculhanbando!!! é demais!!!! Bjo gde e muito obrigada a voce!

      Excluir
  3. Eu sou magra antes eu odiava ser magra pois queria vestir uma roupa diferente mais ficava feio, hoje não Deus me fez magra então vou ficar magra, não brigo mais com a magreza, mais por ser magra ninguém tem o direito de ofender ninguém, infelizmente preconceitos ainda existem pessoas assim tem que lavar a boca antes pra falar mal de alguém. Elisa beijos.

    ResponderExcluir
  4. Achei muito boa... eu tambem sou magra e desde pequena sofri muita gozaçao dos outros, mim chamavam de Olivia palito, Katchup pelo meu nome, seca e dentre outros, eu mim sentia muito mau, mas nao mim atingia de verdade... eu me amava e me amo!!! Eu passei minha infancia e uma parte da adolescencia tomando remedios pra abrir apetite e aumentar peso e nada...hehehe... porque minha familia queria mim ver gordinha... E verdade nao é so as gordinhas que sofrem de bulismo eu sofri e muito!!! Beijos Elisa e parabenizo a leitora por seu depoimento que mim identifiquei a cada palavra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada kati! O merito em nada é meu, é mesmo é da leitora! bjo gde

      Excluir

O seu comentário é muito importante para mim. Seja respeitoso mesmo se tivermos idéias diferentes. Obrigada pela sua visita e volte sempre!

USE AS HASTAGS #euvinoabafa E #dicadoabafa E SUAS FOTOS APARECERÃO AQUI!